Fugindo da Civilização

Mesmo neste mundo moderno, ainda é possível escapar do telefone celular e dos e-mails, seguindo para algumas regiões tão remotas que nada disso será necessário. Confira a lista da Forbes para quem quer viajar e esquecer da civilização.

Tristão da Cunha. 


Território Britânico no Atlântico Sul, é um dos arquipélagos mais remotos do mundo, com menos de 300 habitantes. Para chegar lá, somente de barco e a jornada leva seis dias da Cidade do Cabo, na África do Sul. Barcos com serviço regular cruzam até lá uma vez por mês.

Socotra


Ilha no Oceano Índico, ao sul da Península Árabe, pertence ao Iemen. Dali, é preciso alugar um barco de pesca ou embarcar em um dos dois voos semanais, se o tempo estiver bom (ventos fortes sopram de maio a agosto). A ilha oferece lagoas e praias e animais e plantas exóticos num espaço ocupado por 45 habitantes.


Parque Nacional Darién


Uma faixa com montanhas, florestas tropicais, rios e pântanos separando o Panamá da Colômbia, sem estradas pavimentadas. Para chegar, é preciso reservar uma expedição em jipes para tentar cruzar a área que, há algum tempo, anda sob ocupação de grupos rebeldes colombianos.


Parque Nacional Laguna San Rafael


Uma área extensa na parte sul do Chile. Para chegar lá se vai de Puerto Montt, aproveitando um cruzeiro e depois de barco. As montanhas cercam a área, que é excelente para pescar.


Hinterlândia


Uma área extensa basicamente de planícies entre a Rússia e a China. Um avião leva os visitantes para a capital da Mongólia, Ulaanbaatar, via Pequim ou Moscou. A cultura nômade impera e os esportes locais são corridas de cavalos e falconaria. Abriga o 13o. maior lago do mundo em superfície, assim como o deserto de Gobi.


Parque Nacional de Auyuittuq 


Situado na Ilha Baffin, parte do Canadá. Voando de Ottawa ou Montreal para Iqaluit, capital de Nunavut, e depois um voo fretado para Pangnirtung. A última etapa é achar um guia para seguir de barco (no verão) ou veículo de neve (inverno). Os ursos polares podem ser vistos durante a primavera.


Península Kamchatka



Uma península de vulcões, geisers, floresta e vida animal na parte mais afastada da Rússia, entre o Norte Pacífico e o Mar de Okhotsk. Voos saem de Moscou ou Anchorage para Petropavlovsk-Kamchatsky, a área mais urbana da península. Ursos, lobos, linces e doninhas dividem o habitat com trutas.


Papua Nova Guiné



Ocupando a parte mais ao leste da Ilha de Nova Guiné, no norte da Austrália entre o Mar de Corais e o Pacífico Sul. Pode-se voar até a capital, Port Moresby, da Austrália, depois de avião fretado até um vilarejo na praia ou algum acampamento na selva. As praias, corais e a vida marinha são dignos de cartão postal.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Douglas Hugentobler

Douglas é o diretor acadêmico da Universidade das Nações em Worcester, África do Sul. Ele faz parte da liderança da Jocum em Worcester, onde mora há 16 anos junto com sua esposa e filhas.

    Comentar pelo Blogger
    Comentar pelo Facebook