Qual a mensagem do Evangelho? (Parte 2 de 5)


Definindo o significado de Evangelho

Só existe um texto em todo Novo Testamento que explica claramente qual a mensagem do evangelho de acordo com o ensino dos apóstolos. Ela se encontra em 1 Coríntios 15:1-28.

1 Irmãos, quero lembrar-lhes o evangelho que lhes preguei, o qual vocês receberam e no qual estão firmes. 2 Por meio deste evangelho vocês são salvos, desde que se apeguem firmemente à palavra que lhes preguei; caso contrário, vocês têm crido em vão.

Aqui temos Paulo dizendo que ele irá repetir a mensagem do evangelho que ele pregou aos coríntios.

3 Pois o que primeiramente lhes transmiti foi o que recebi: que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, 4 foi sepultado...

O primeiro ponto que vemos Paulo trazer é a morte de Jesus.

... e ressuscitou no terceiro dia, segundo as Escrituras, 5 e apareceu a Pedro e depois aos Doze. 6 Depois disso apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma só vez, a maioria dos quais ainda vive, embora alguns já tenham adormecido. 7 Depois apareceu a Tiago e, então, a todos os apóstolos; 8 depois destes apareceu também a mim, como a um que nasceu fora de tempo.

O segundo ponto é a ressurreição de Jesus. Ele então conta quantos foram testemunhas desta ressurreição, onde alguns destes ainda estão vivos, mas outros não. Dos versículos 9-13 Paulo defende seu apostolado, porque havia alguns que estavam questionando sua legitimidade.

Então, nos versículos 12-19, Paulo descreve a natureza da ressurreição. Na antiguidade havia um debate acirrado sobre a ressurreição. Alguns não acreditavam nesta possibilidade, e Paulo acho necessário tocar no assunto. Ele diz que é possível, Jesus foi ressuscitado, e se isto não fosse verdade, ainda estaríamos em nossos pecados, e portanto, não teríamos nenhuma esperança. Tudo isto é um parêntese na mensagem principal sobre a mensagem do evangelho. Ele então volta à mensagem da ressurreição:

20 Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dentre aqueles que dormiram. 21 Visto que a morte veio por meio de um só homem, também a ressurreição dos mortos veio por meio de um só homem. 22 Pois da mesma forma como em Adão todos morrem, em Cristo todos serão vivificados. 23 Mas cada um por sua vez: Cristo, o primeiro; depois, quando ele vier, os que lhe pertencem. 

Então chegamos no ápice de sua mensagem:

24 Então virá o fim, quando ele entregar o Reino a Deus, o Pai, depois de ter destruído todo domínio, autoridade e poder. 25 Pois é necessário que ele reine até que todos os seus inimigos sejam postos debaixo de seus pés. 26 O último inimigo a ser destruído é a morte. 27 Porque ele “tudo sujeitou debaixo de seus pés”. Ora, quando se diz que “tudo” lhe foi sujeito, fica claro que isso não inclui o próprio Deus, que tudo submeteu a Cristo. 28 Quando, porém, tudo lhe estiver sujeito, então o próprio Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, a fim de que Deus seja tudo em todos.

Este texto está descrevendo o Senhorio de Jesus: depois da ressurreição eu subiu ao pai e todas as coisas, tudo, tudo, tudo foi sujeito ao seu Senhorio.

Observe o que Paulo NÃO ESTÁ DIZENDO. Nesta apresentação do evangelho ele não fala sobre o inferno. Ele não fala sobre o céu. Ele não fala sobre arrependimento. Sobre o que ele fala? A morte de Jesus pelos nossos pecados, sua ressurreição, e a ascensão e senhorio de Jesus sobre todas as coisas.

Para Paulo, esta é boa nova: A morte, ressurreição, ascensão, e Senhorio de Jesus sobre todas as coisas. 

Este é o único lugar onde alguém dá a descrição do evangelho, mas não é o único lugar onde o evangelho é pregado. Isto fica para a parte 3.

Compartilhe:

SOBRE O AUTOR

Douglas Hugentobler

Douglas é o diretor acadêmico da Universidade das Nações em Worcester, África do Sul. Ele faz parte da liderança da Jocum em Worcester, onde mora há 16 anos junto com sua esposa e filhas.

    Comentar pelo Blogger
    Comentar pelo Facebook